PROCURADOS

  • Procurado
  • Procurado
  • Procurado
  • Procurado
  • Procurado
  • Procurado
  • twitter
  • Facebook
  • rss
Previsão do Tempo
www.simepar.br

Polícia Civil

24/08/2007

Presa quadrilha que vendia drogas sintéticas em festas de Curitiba


O Núcleo de Repressão ao Tráfico de Drogas da Divisão de Narcóticos da Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (23), uma quadrilha que distribuía drogas sintéticas em casas noturnas e raves em Curitiba. Quatro homens e uma mulher foram presos em cumprimento a mandados judiciais. “O trabalho era compartimentado. Havia o chefe, o distribuidor principal e os que repassavam nas casas noturnas”, afirmou o delegado Gil Rocha Tesserolli.

A quadrilha vinha sendo investigada desde abril. Três homens foram presos em Curitiba, um em Colombo, na Região Metropolitana, e a mulher, em Guarapuava. Um dos integrantes do bando foi encontrado com uma pistola 765 de uso proibido, com silenciador.

Entre os presos estão um bailarino de casa noturna e um organizador de eventos. Com a quadrilha foram apreendidos 201 pontos de LSD e pelo menos 15 comprimidos de ecstasy inteiros e em pedaços. O LSD é uma droga sintética vendida em cartelas picotadas, que são denominados pontos com, em média, de 2 a 3 milímetros. O efeito pode durar de 4 a 10 horas. “Encontramos com eles meia cartela desta droga. Por enquanto não dá para dizer onde o material foi produzido. Provavelmente não deve ser produzido no país”, disse o delegado.

ESQUEMA – A ação da quadrilha começou a ser desvendada com a prisão, em 1.º de agosto, de Eduardo de Paula Soares, conhecido como “Dudu”, em Curitiba. Ele havia acabado de comprar 10 comprimidos de ecstasy de um homem conhecido como “Ale”.

A polícia descobriu que “Ale”, na verdade, é o estudante de Direito Jeconias Alexandre da Silva, 36 anos, apontado como um dos principais fornecedores de ecstasy das festas noturnas realizadas na capital. Ele foi preso nesta quinta-feira. De acordo com o delegado, o Jeconias comprava a droga de Gerson Leonardo Dona Bueno, 25, preso em Curitiba. “Foi o que nós precisávamos para pedir a busca e apreensão e prisão preventiva contra todos os integrantes da quadrilha”, explicou o delegado Tesserolli.

Segundo a polícia, no cofre da casa de Gerson, foram encontrados a arma, a cartela de LSD e R$ 59 mil em dinheiro. Ele não se envolvia com a distribuição, que ficava a cargo de Jeconias. Três pessoas que revendiam o entorpecente para ele também foram presas. São eles: a estudante Andresa Lemes Siqueira, 27, Alex Sandro Veiga, 24, e Rafael Montini Rodrigues, 24. Andressa foi presa em Guarapuava. No apartamento dela, em Curitiba, foram encontrados cerca de 10 comprimidos de ecstasy, entre inteiros e em pedaços. Alex, preso em Colombo, é dançarino de uma casa noturna. Rafael Montini Rodrigues, que usa o nome de Rafael Duran, é promoter de casa noturna e organizador de festas.

APREENSÕES – Ao todo foram apreendidas duas armas, um silenciador para pistola, livros sobre drogas sintéticas, documentação, latas para guardar os comprimidos, além de um carro e duas motos. A polícia ainda recolheu documentos e anotações que vão subsidiar futuras investigações. De acordo com o delegado-titular da Divisão de Narcóticos, Osmar Dechiche, o trabalho não pára com as prisões e apreensões. “Vamos dar continuidade a essa investigação”, garantiu. 

















Fonte: Agência Estadual de Noticias.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.